O amor visto pelo olhos da ilusão? (texto do meu livro) 

Ninguém pode fazer esse sentimento 

crescer por alguém tão subitamente. Sempre acreditei que o afeto se cria diariamente, na sua convivência de momentos agradáveis e admirando atitudes. O respeito por sua bravura nos acontecimentos de uma vida as vezes dura. 

Na cordialidade de que cada bom dia traga a satisfação de dividi los e apreciar os dias juntos a presença um do outro. 

Em horas de desentendimentos a vontade de superar isso pelo desejo de sua companhia.

O sentimento verdadeiro é adquirido pela emoção diária que se vive. Esse sentimento que se constrói e se perpetuara seguramente, pois foi mais fortes que essas paixões avassaladoras e instantâneas de amantes. Foi a revelação de duas almas uma a outra tão calmamente em sua simplicidade de se entregar sem pretensão de uma possuir a outra. O único desejo era se mostrar e se amar. 

Mas não a chance para sentimento súbito. De emoção que se vê tão rapidamente provocado por olhares que não se pode revelar nada. 

De alma que não se conhece nada. 

Não ah futuro para um sentimento tão repentino. 

Ve-se apenas que tudo é ilusão de quem o cria. 

A melhor paixão é aquela do encontro casual

O acaso te liberta dos seus medos e te mostrar que muito mais do que planejar é viver essas inconstância da vida, que te tira o fôlego e faz os acontecimentos efêmeros marcarem a sua alma.
Texto do meu novo livro que aborda as inconstância dos relacionamentos atuais.